Escola da Previdência Social
Início da área de conteúdo
Biblioteca - Artigos - Por quê estudar os Fundamentos da Educação Online
Autor: Wilson Azevedo

(Prefácio do livro "Fundamentos da Educação Online") Que os fundamentos de um campo teórico são importantes isto poucos questionam. O problema é o grau de importância dado aos conceitos, teorias e princípios que embasam as práticas e a reflexão.

Especialmente numa época como esta, em que a Educação Online ainda é uma descoberta para muitos, as questões relacionadas ao "como fazer"
acabam no centro das preocupações. E assim os fundamentos da Educação Online vão ficando em segundo plano, relegados para um "depois' que nunca chega.

A falta desta base mais segura fornecida por décadas de pesquisa e reflexão explica em parte os insucessos e as dificuldades para superar problemas que já foram enfrentados em outros lugares e épocas por outros educadores. A Educação Online tem uma história, já existe uma significativa produção científica e teórica em nível mundial que não deve ser ignorada. Se os problemas se acumulam e demoramos para encontrar solução, isto é um sintoma de que está na hora de voltar aos fundamentos.

Neste livro, primeiro volume de uma série que espero poder prosseguir, ofereço algumas sínteses de capítulos e livros que considero fundamentais para uma melhor compreensão do que é ensinar e aprender a distância por meio de tecnologias da informação e da comunicação. São o que chamo de "anotações de leitura" de obras e autores que me ajudaram a situar melhor o meu trabalho como profissional de Educação Online no contexto das mudanças culturais trazidas e disseminadas pelas novas tecnologias, que me ajudaram a encontrar soluções e a superar dificuldades e problemas que os (para nós) novos desafios da educação mediada por tecnologia nos apresentam.

A leitura dos capítulos deste livro não substitui a leitura das obras aqui apresentadas de modo sintético. Recomendo fortemente ao leitor que localize e leia os livros e textos aqui indicados. Este livro pode inclusive ser entendido como uma bibliografia comentada. Peço que você considere seriamente a possibilidade de travar contato direto com estas obras e me darei por satisfeito se este livro provocar em cada leitor o desejo de se aprofundar e ler diretamente os autores abordados.

Uma outra maneira de entender e usar este livro é vê-lo como um guia de estudo, tanto para o estudo individual, quanto um manual de estudo para ser adotado como material didático em um curso. Os capítulos foram redigidos tendo em mente o profissional, o pesquisador ou o estudante que diariamente enfrentam agendas lotadas de compromissos e não dispõem de muito tempo para dedicar à tão necessária leitura.

Neste primeiro volume procurei reunir autores e trabalhos que contribuem para nos dar uma visão geral dos processos históricos e culturais que nos levaram até onde estamos agora e nos fornecem elementos que ajudam a entender no que estamos nos envolvendo quando fazemos educação a distância via Internet. Um autor relevante, talvez um dos mais argutos analistas da chamada "cibercultura", é sem dúvida o tunisiano Pierre Levy. Sete capítulos são dedicados aqui a 4 de seus livros, todos eles disponíveis em português. Mas, se me permitem o trocadilho, seria leviano considerar este um livro "levyano": logo no primeiro capítulo destaco a contribuição de Neil Postman, um ácido crítico do que ele mesmo chama de "Tecnopólio", o monopólio cultural da tecnologia. Afinal é também Postman quem nos alerta para o perigo dos "profetas de um olho só", que possuem apenas um olhar tecnófilo e não levam a sério as advertências de críticos que, como ele, não têm medo de remar contra a maré. Muitos dos problemas que enfrentamos hoje em Educação Online têm origem num certo "deslumbramento" frente à tecnologia e Postman nos ajuda a perder um pouco desta ingenuidade deslumbrada.

Entre Postman e Levy coloquei Walter Ong, autor que serve de fonte para o último e um dos primeiros a destacar que a escrita é também uma tecnologia. Após os capítulos dedicados a Levy, seguem-se três clássicos: "Comunidade Virtual", de Howard Rheingold, um dos primeiros a perceber e se dedicar a analisar este fenômeno, "Em Busca da Aula Virtual", de John Tiffin e Lalita Rajasingham, e "Aprendizagem Colaborativa", de Keneth Bruffee. Encerro este volume com dois capítulos de uma obra importantíssima editada por Moore e Anderson, "Manual da Educação a Distância", o primeiro trazendo uma análise atualizada dos chamados "estilos de aprendizagem" em Educação a Distância e o segundo escrito por uma das maiores autoridades mundiais no assunto, Greville Rumble, tratando de um tema altamente relevante: custos em Educação a Distância e em Educação Online.

Meu desejo é que o contato com as idéias, conceitos e teorias desenvolvidos pelos autores aqui apresentados sirva para consolidar uma perspectiva mais amadurecida da Educação Online e permita fazer avançar a discussão para além da ingenuidade e do deslumbramento que caracterizam muitos recém-chegados. Em nosso país, notadamente no ensino superior, podemos estar "engatinhando", ainda na primeira infância da Educação Online. Mas não temos o direito de continuar a ignorar os fundamentos que sustentam o campo no qual estamos começando a pisar. Podemos ser "pigmeus", mas teremos condições de enxergar melhor o que está a nossa volta se nos posicionarmos nos ombros dos "gigantes" que com seu trabalho lançaram os fundamentos da Educação Online.

Valid XHTML 1.0 Transitional | Valid CSS! Selo acessibildade dasilva